W
NW
N
N
NE
W
the Degree Confluence Project
E
SW
S
S
SE
E

Brazil : Rio Grande do Norte

9.0 km (5.6 miles) SSW of Cristóvão, Rio Grande do Norte, Brazil
Approx. altitude: 152 m (498 ft)
([?] maps: Google MapQuest Multimap world confnav)
Antipode: 5°N 143°E

Accuracy: 1.7 km (1.0 mi)

  { Main | Search | Countries | Information | Member Page | Random }

  5°S 37°W (visit #3) (incomplete) 

#1:

(visited by José Eduardo Guimarães Medeiros)

English

18-abr-2014 -- Na sexta-feira, 18 de abril, início do feriado prolongado de Páscoa, viajei com a família para Natal, onde ficaria até segunda-feira, 21 de abril, e aproveitaria para tentar visitar duas confluências no Rio Grande do Norte, uma na viagem de ida e uma na viagem de volta. A primeira confluência seria a 5S 37W, próxima à cidade litorânea de Areia Branca.

Saímos de Fortaleza por volta das 7h30min e seguimos viagem pelas rodovias CE-040 e BR-304 até a divisa entre os estados do Ceará e do Rio Grande do Norte. Atravessamos a divisa e seguimos mais alguns quilômetros até a cidade de Mossoró, onde paramos para almoçar, por volta das 11h30min, após percorrermos os primeiros 240 quilômetros.

Após o almoço, nos desviamos do caminho para tentar a visita à confluência. Seguimos pelas rodovias RN-013 e RN-012, de onde avistamos montes de sal e vários dos chamados “cavalos mecânicos”, bombas utilizadas para a extração de petróleo no subsolo. Esta região do Rio Grande do Norte é a maior produtora de sal do Brasil, e também a maior produtora de petróleo em terra do país, uma vez que nos principais estados produtores de petróleo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, a extração é feita em alto mar.

Eu imaginei que esta seria uma confluência muito fácil, uma vez que, segundo as informações fornecidas pelo visitante anterior, e confirmadas pelas fotos de satélite que analisei, a confluência se localiza exatamente sobre uma estrada de terra e a menos de 100 metros do que parece ser um cavalo mecânico. No entanto, em visitas a confluências sempre reina o imponderável, e não é possível afirmar que uma visita será fácil antes de irmos até lá.

Deixamos a rodovia e viramos à direita, iniciando o trecho previsto de 6.500 metros em estrada de terra. Quando ainda falta os cerca de 2.000 metros finais, no entanto, a estrada tornou-se intransitável para carros. Achei esse fato muito estranho, considerando-se que, conforme citado, havia um cavalo mecânico muito próximo à confluência.

Como as fotos de satélite mostravam um emaranhado de estradas de terra que interligavam os cavalos mecânicos, e que pude confirmar no local, gastei um bom tempo tentando encontrar um outro caminho para chegar até a confluência. Não tive sucesso. Todas as estradas de terra eram bruscamente interrompidas, sempre que alcançavam um cavalo mecânico. O tempo gasto nessa busca impediu que eu pudesse percorrer o caminho restante a pé, uma vez que nós ainda precisávamos viajar por mais 330 quilômetros até Natal. Sendo assim, desistimos da visita e seguimos viagem, chegando a Natal já de noite.

Não consegui entender a razão pela qual o local da confluência não está acessível para carros, mas o que considero mais provável é que o cavalo mecânico localizado próximo à confluência foi desativado (talvez por ter tido a extração de petróleo esgotada naquele ponto), foi desmontado e aquela estrada parou de ser utilizada. O que me leva a crer nessa hipótese é que as estradas de terra da região foram todas construídas exclusivamente para interligar os cavalos mecânicos e não nos levam a nenhum outro lugar, e algumas outras estradas estavam sendo construídas no dia em que estivemos lá. Na próxima oportunidade em que eu tentar uma nova visita a essa confluência, poderei me certificar se essa hipótese está correta.

Não costumo registrar formalmente as tentativas frustradas de visitas a confluências; esta é apenas a terceira vez que faço isso e só acho que vale a pena fazer quando há informações relevantes a serem extraídas da tentativa mal sucedida, como neste caso. Já realizei muitas outras tentativas frustradas a confluências. Algumas das confluências que não foram vencidas na primeira tentativa acabaram sendo alcançadas em uma segunda tentativa, enquanto outras até hoje ainda estão pendentes. Aproveito esta oportunidade para apresentar, abaixo, a lista de todas as confluências às quais eu já tentei visitar, e ainda não consegui.

- confluência 18S 45W (próxima a Três Marias, MG): já realizei duas tentativas de visitar essa confluência, a primeira em abril de 2009 e a segunda em abril de 2010. Na primeira tentativa, a falta de imagens de satélite de alta resolução não me permitiram encontrar um caminho que me levasse a menos de 6 quilômetros do ponto exato. Já na segunda tentativa, as más condições da estrada de terra, causadas pelas chuvas, me pararam a uma distância ainda maior;

- confluência 23S 46W (próxima a Monteiro Lobato, SP): realizei uma tentativa em novembro de 2010, e cheguei a cerca de 300 metros do ponto exato. Uma área de floresta extremamente densa me impediu de prosseguir;

- confluência 24S 46W (em alto mar, próxima a Guarujá, SP): a confluência localiza-se a 19 quilômetros da costa, e não cheguei a realizar de fato uma tentativa; fiz apenas um registro do ponto da costa mais próximo da confluência;

- confluência 12S 40W (próxima a Baixa Grande, BA): no penúltimo dia da longa viagem de carro que fiz em janeiro de 2013, do Ceará até Minas Gerais e de volta ao Ceará, tentei visitar esta confluência, mas fui impedido por uma estrada de terra intransitável quando eu estava a cerca de 4 quilômetros do ponto. Em função do compromisso de seguir viagem, não pude percorrer a distância restante a pé;

- confluência 6S 43W (próxima a Palmeirais, PI): em agosto de 2013, vindo de uma visita bem-sucedida à confluência 4S 43W, tentei uma segunda visita no mesmo dia, mas fui impedido por uma porteira trancada a cadeado, quando eu estava a 5 quilômetros do ponto exato. Como já era relativamente tarde, não havia tempo para percorrer a distância restante a pé;

- confluência 11S 49W (próxima a Santa Rita do Tocantins, TO): numa tentativa realizada em dezembro de 2013, me deparei com uma área completamente alagada, que me impediu de seguir em frente mesmo a pé, quando eu estava a 1.580 metros do ponto exato.

Infelizmente, não tenho nenhuma foto para apresentar. Esta narrativa continua na visita à confluência 6S 36W.

English

18-Apr-2014 -- Friday, 18 April, starting day of prolonged Easter Holiday, I traveled with my family to Natal city, capital of Rio Grande do Norte state, where I would spent three days, up to 21 April, and I would enjoy to try two confluences at Rio Grande do Norte, one going and one coming back. The first one would be 5S 37W, near coastal city of Areia Branca.

We left Fortaleza city about 7:30 and headed by CE-040 and BR-304 highways up to Ceará – Rio Grande do Norte state line. We crossed the state line and followed some more kilometers up to Mossoró city, where we stopped to have lunch, about 11:30, after traveling by 240 kilometers.

After the lunch, we made a detour to try to visit the confluence. We followed by RN-013 and RN-012, where we viewed salt mounts and several pump jacks, used to extract oil from the subsoil. This region of Rio Grande do Norte is the greatest salt producer of Brazil, and also it’s the greatest land based oil extractor of the country. The greatest oil producer states of Brazil, Rio de Janeiro and Espírito Santo, extract oil from seabed.

I thought that this would be a very easy confluence, because, according to the information of previous visitor, and confirmed by satellite photos that I analyzed, the confluence lies exactly on a dirt road and less than 100 meters to something that looks like a pump jack. However, confluence visits are always unforeseeable, and it isn’t possible to say that a visit will be easy before going up there.

We left the highway and turned right, starting the previewed leg in dirt road, 6,500 meters long. When it has remaining 2,000 meters, however, the road turns impassable for car. This fact seems weird, due to, as cited, there was a pump jack near the confluence.

As satellite photos shows a maze of dirt roads joining the pump jacks, and that I confirmed in the local, I spent a lot of time trying to find other way to go up to the confluence. I hadn’t success. All roads abruptly interrupt, always that they find a pump jack. The spent time avoid the possibility of hike the remaining distance, because we needed to travel by more 330 kilometers up to Natal. Due to this, we gave up of the visit and followed ahead, arriving at Natal at evening.

I didn’t understand why the confluence point isn’t accessible by car. I think that the most probable possibility is that the pump jack located near the confluence is useless (maybe because its oil extraction runs out), was disassembled and the road that goes up to it isn’t used anymore. This hypothesis is plausible because all roads of the region was built exclusively to join the pump jacks and don’t go to any other place. Beside of this, some other roads have been built in the day that we are there. In the next opportunity in that I try other visit to this confluence, I will check if this hypothesis is correct.

I generally don’t record formally all unsuccessful attempts; this is only the third that I register. I register only when the unsuccessful attempt brings relevant information, like this one. I have ever made several other unsuccessful attempts. Some of the confluences that hadn't gotten in the first attempt, were achieved in a second one. Other ones are pending yet. I will use this narrative to list, as follows, all attempted and didn’t achieve confluences.

- confluence 18S 45W (near Três Marias city, Minas Gerais state): I had ever made two attempts to this confluence, the first one in April 2009 and the second one in April 2010. In the first attempt, the lack of high resolution satellite images avoided me to find a path that goes up to less than 6 kilometers to the exact point. And in the second attempt, the bad conditions of dirt road, due to rain, stopped me at a greater distance;

- confluence 23S 46W (near Monteiro Lobato city, São Paulo state): I made an attempt in November 2010, and went up to 300 meters to the exact point. An area with a very dense forest avoided me to go ahead;

- confluence 24S 46W (open sea, near Guarujá city, São Paulo state): the confluence is located at 19 kilometers from the coastline, and I didn’t make really an attempt; only registered the nearest coastline point;

- confluence 12S 40W (near Baixa Grande city, Bahia state): in the last but one day of a long trip by car made in January 2013, from Ceará state to Minas Gerais state and back to Ceará, I attempted this confluence, but an impassable dirt road stopped me, when I was 4 kilometers to the point. Due to the obligation of continuing the trip, I couldn’t hike the remaining distance;

- confluence 6S 43W (near Palmeirais city, Piauí state): in August 2013, coming from a successful visit to 4S 43W confluence, I attempted the second visit of the day, but a locked gate stopped me, 5 kilometers to the exact point. I didn’t hike the remaining distance because it was late;

- confluence 11S 49W (near Santa Rita do Tocantins city, Tocantins state): in an attempt made in December 2013, I faced a completely flooded area, impassable even on foot, when I was 1,580 meters to the exact point.

Unfortunately, I haven't any photo to show. This narrative continues on 6S 36W.


 All pictures
#1:
ALL: All pictures on one page (broadband access recommended)