W
NW
N
N
NE
W
the Degree Confluence Project
E
SW
S
S
SE
E

Brazil : Goiás

16.7 km (10.4 miles) NE of Jandaia, Goiás, Brazil
Approx. altitude: 558 m (1830 ft)
([?] maps: Google MapQuest Multimap world confnav)
Antipode: 17°N 130°E

Accuracy: 65 m (213 ft)
Click on any of the images for the full-sized picture.

#2: Visão sul e confluência 60 metros adiante - south view and confluence 60 meters ahead #3: Visão oeste - west view #4: Visão norte - north view #5: Visão leste - east view #6: GPS #7: Gado que dificultou a visita - cattle that hardened the visit #8: Entrada da fazenda onde se localiza a confluência - entrance of farm where lies the confluence #9: Parei o carro a 1.400 metros da confluência - I stopped the car 1,400 meters to the confluence

  { Main | Search | Countries | Information | Member Page | Random }

  17°S 50°W (visit #2)  

#1: Visão geral - general view

(visited by José Eduardo Guimarães Medeiros)

English

19-dez-2013 -- Esta narrativa é uma continuação da visita 16S 50W.

Após a segunda visita do dia e da rápida passagem pela cidade de Goiás, segui viagem rumo ao sul, pegando estradas secundárias com o objetivo de chegar à cidade de Jandaia, a mais próxima da confluência 17S 50W. Passei pelas cidades de Mossâmedes, Sanclerlândia, São Luiz dos Montes Belos, Firminópolis, Turvânia, Palminópolis e, finalmente, Jandaia.

Atravessei a cidade de Jandaia e iniciei o trecho de 17 quilômetros em estrada de terra, que estava em boas condições, apesar de alguns trechos com poças de água. Parei o carro na entrada de uma fazenda, a 1.400 metros do ponto exato. Tentei avançar mais com o carro, mas, 300 metros depois, havia uma porteira fechada. Nem cheguei a verificar se ela estava trancada a cadeado. Como eu estava relativamente próximo do ponto exato, decidi voltar com o carro até a estrada de percorrer o restante da distância à pé.

A primeira parte da caminhada foi tranquila, às margens da cerca que delimita a fazenda. A segunda parte, porém, exigiu que eu contornasse uma área com uma quantidade grande de gado. Tentei me aproximar o máximo possível do ponto exato, mas a presença de gado nas proximidades impediu que eu chegasse a menos de 60 metros da confluência. De qualquer forma, já era o suficiente para registrar a visita.

Ao fazer o caminho de volta, porém, tive muito mais dificuldade para evitar me aproximar do gado. Eles resolveram se aproximar da cerca pela qual eu havia passado, e se posicionaram em ambos os lados da cerca, ou seja, ambas as fazendas vizinhas tinham gado e eles resolveram se reunir próximos à cerca. Aguardei por alguns minutos para ver se eles se afastavam e, vendo que eles de fato haviam decidido ficar por ali, tive de fazer um grande desvio por fora da fazenda, por uma área mais alagada.

Quando eu estava fazendo o desvio, caí em um buraco cheio de água barrenta e acabei sujando os tênis, a calça, a camisa, as mãos, os braços, o GPS e a câmara fotográfica. Isso era um problema, uma vez que eu pretendia viajar de ônibus poucas horas depois. De qualquer forma, concluí a caminhada até o carro e fiz o caminho de volta até Jandaia.

Após voltar à cidade de Jandaia, comprei três garrafas de água, não apenas com a intenção de beber, mas também de remover o barro. Peguei uma rodovia secundária em direção à cidade de Indiara e, após deixar a cidade de Jandaia para trás, parei o carro no acostamento. Troquei as meias, a camisa e a calça e, com a água que eu havia comprado, lavei as mãos, os braços e os tênis. Após a limpeza, eu já estava com uma aparência bem melhor, e já dava para pegar o ônibus à noite.

Segui viagem até Indiara e lá peguei a rodovia GO-060 em direção a Goiânia. Quando anoiteceu, por volta das 20 horas, eu estava a 30 quilômetros da cidade.

Ao chegar a Goiânia, jantei em um shopping da cidade, devolvi o carro e fui para a rodoviária. Às 23h 30min, peguei um ônibus para Uberlândia, distante 340 quilômetros de Goiânia, onde eu chegaria às 5 horas do dia seguinte.

Às 6h 30min, peguei outro ônibus para o último trecho da viagem, com destino a Lavras, onde moram meus pais. Este último ônibus entra em praticamente todas as cidades do caminho, o que atrasa bastante a viagem. Para percorrer os 530 quilômetros entre Uberlândia e Lavras, o ônibus gastou 13 horas. Cheguei a Lavras por volta de 19h30min de sexta-feira, 20 de dezembro, seis dias após a saída de Fortaleza.

Minha volta para Fortaleza está prevista para o dia 4 de janeiro. Mas a volta será feita de avião, e, por isso, não haverá novas visitas a confluências.

Apesar de minhas previsões pessimistas relatadas na narrativa da confluência 17S 49W, eu acabei conseguindo realizar as três confluências previstas para o dia. Colaborou para isto o fato de não ter chovido ao longo de todo o dia e também o horário em que estava previsto que anoiteceria. Além de o estado de Goiás utilizar o horário de verão, eu estava no paralelo 50W, um dos paralelos mais a oeste do fuso horário oficial do Brasil. Segundo os cálculos considerando a latitude, a longitude e a época do ano, o pôr do sol estava previsto para as 19h 52min. A título de comparação, na cidade de Fortaleza, onde eu iniciei esta viagem, sem horário de verão e localizada muito mais a leste e muito mais próxima da linha do Equador, o pôr do sol estava previsto para as 17h 42min.

Esta é a segunda vez que eu consigo visitar três confluências em um único dia. A primeira vez foi no dia 16 de abril de 2011, há quase três anos. Naquela ocasião, eu visitei duas confluências no estado do Paraná e uma no estado de São Paulo. A narrativa destas três visitas inicia-se na confluência 23S 51W.

Na presente viagem, visitei confluências pela primeira vez nos estados de Tocantins e Goiás. Com estes dois novos estados, eu completo visitas a confluências em 18 dos 27 estados brasileiros.

English

19-Dec-2013 -- This narrative continues from 16S 50W.

After the second visit of the day and after the quick visit to Goiás city, I headed south, catching secondary roads aiming to arrive at Jandaia city, the nearest to 17S 50W confluence. I passed by Mossâmedes, Sanclerlândia, São Luiz dos Montes Belos, Firminópolis, Turvânia, Palminópolis cities and, finally, Jandaia city.

I crossed the city of Jandaia and started the 17-kilometers long dirt road leg, which was in good conditions, although there were some puddles. I stopped the car at a farm entrance, 1,400 meters to the exact point. I tried to go ahead, but, 300 meters after, there was a closed gate. I didn’t check if it was locked, because I was relatively near to the exact point, and decided to come back to the road with the car and hike the remaining distance.

The first leg of the hike was calm, at the edge of a fence that delimits the farm. In the second leg, however, I had to make a detour in order to avoid an area with a lot of cattle. I tried to go as close as possible to the exact point, but the presence of cattle allowed me to go only up to 60 meters to the Confluence. In any case, it was close enough to register the visit.

When making the way back, I faced much more hardness to avoid going much closer to the cattle. They decided to go very near to the fence that I had passed, and lay at both sides of the fence, that is, both neighbor farms have cattle and they gathered each others near the fence. I waited for some minutes but they were really decided to stay there. Then, I had to make a big detour out of the farm, by a flooded area.

When I was making the detour, I fell in a hole with a lot of muddy water and dirtied the tennis, the pants, the shirt, the hands, the arms, the GPS, and the camera. It was a problem, because I intented to travel by bus some hours after. In any case, I concluded the hike up to the car and made the way back to Jandaia.

After coming back to Jandaia, I bought three water bottles, not only to drink them, but also to remove the mud. I caught a secondary road heading to Indiara city and, after leaving the city of Jandaia, I stopped at the shoulder of the road. I changed the sockets, the shirt and the pants. With the bought water, I washed the hands, the arms, and the tennis. After the cleaning, my appearance was much better, and I already could catch the bus at night.

I headed to Indiara and then caught the GO-060 highway up to Goiânia. At sunset, about 20:00, I was 30 kilometers to the city.

When arriving at Goiânia, I had dinner in a mall of the city, returned the car and went to the bus station. At 23:30, I caught a bus to Uberlândia city, 340 kilometers distant to Goiânia, where I arrived at 5:00 of following day.

At 6:30, I caught another bus for the last leg of the trip, to Lavras city, where my parents live. This last bus enters in almost all cities of the way, and it delays a lot the trip. In order to manage the 530 kilometers between Uberlândia and Lavras, the bus spent 13 hours. I arrived at Lavras about 19:30 of Friday, 20 December, six days after the start of the trip at Fortaleza.

My trip back to Fortaleza will be at 4 January. But this trip will be by plane, and then, I won’t visit new Confluences.

Against my pessimistic previsions described in the 17S 49W narrative, I got all three previewed confluences of the day. This was due to the fact that it didn’t rain the whole day and also due to the previewed sunset hour. Beside the fact that Goiás state uses daylight saving time, I was on 50W meridian, one of the most western meridians of official Brazilian time zone. According to the calculations considering latitude, longitude, and the period of the year, the sunset would be at 19:52. Comparatively, in Fortaleza city, where I started this trip, without saving time and located much eastern and much closest to the Equator line, the sunset would be at 17:42.

This was the second time in that I got three Confluences in only one day. The first time was 16 April 2011, almost three years ago. On that occasion, I visited two confluences in Paraná state and one in São Paulo state. The narrative of those visits started at 23S 51W confluence.

In this trip, I visited confluences by the first time in Tocantins and Goiás states. With them, I have now confluence visits in 18 out of 27 Brazilian states.


 All pictures
#1: Visão geral - general view
#2: Visão sul e confluência 60 metros adiante - south view and confluence 60 meters ahead
#3: Visão oeste - west view
#4: Visão norte - north view
#5: Visão leste - east view
#6: GPS
#7: Gado que dificultou a visita - cattle that hardened the visit
#8: Entrada da fazenda onde se localiza a confluência - entrance of farm where lies the confluence
#9: Parei o carro a 1.400 metros da confluência - I stopped the car 1,400 meters to the confluence
ALL: All pictures on one page (broadband access recommended)