W
NW
N
N
NE
W
the Degree Confluence Project
E
SW
S
S
SE
E

Brazil : Minas Gerais

7.6 km (4.7 miles) NNE of Giovani, Minas Gerais, Brazil
Approx. altitude: 704 m (2309 ft)
([?] maps: Google MapQuest Multimap world confnav)
Antipode: 19°N 132°E

Accuracy: 52 m (170 ft)
Click on any of the images for the full-sized picture.

#2: East #3: South #4: West #5: Confluence 50m behind me, inside lake. #6: Treeklog plotted over sattelite image.

  { Main | Search | Countries | Information | Member Page | Random }

  19°S 48°W (visit #2)  

#1: North

(visited by Kelly Resende and Fernando Resende)

Portuguese

26-Dec-2003 -- In Chistmas week, I went to Uberlandia city – Minas Gerais, Brazil. It's impossible to lose the oportunity to hunt at least one confluence in the region.

My brother Fernando and I, went out december 26, around 8:30h looking for 19ºS 48ºW confluence. We take the BR452 highway, going to the Araxá city, about 30 km until the GPS started show that me should turn left. We went in a dirt road that took us to a farm house that was empty.

We left a message in the windshield's car and started to walk in the pasture, a bit afraid with the cows that weve looking at us all the time. We walked about 2 to 3 km until we saw the lake from Miranda’s hydroelectric in Araguari river. So we saw another dirt road, that got us until the edge of the dam. We could get there by car but, I'm a member of a treeking group!

At that point, we had doubt about the right direction, because the GPS pointed into the middle of the lake, we couldn’t know what direction to take to get closer to the confluence. We took the right side and this was the right choice. From there we always walk on this side of the dam. There was some private lands and we talked with the owners.

We found some skares in that place. First we passed through a herd, certainly cows didn't like our presence in there. At some point we almost had to get into the water, but we could drive the cows away. In other small property we called for someone and there was nobody, just a lot of mango trees. We walked with a lot of enthusiasm on that way when we run into a big dog watching us.

Thanks God the animals were just watching us!!! We took some mango and moved ahead. Further ahead we came across with another interest thing: jaguar footprints! We looked around and continued.

We had to walk around the dam, but finally, just after 6 km of trekking we got at 52 meters of the confluence, the closest we got, since the exact point is in the lake. So we stoped, took some photos, had a shack and admireed the scene.

The return trip was pure serenity, without snakes, eating mango and guava (brazilian fruits), we swam in the lake, and then came back to Uberlândia, happy with this conquest. Unfortunatelely when we processed the photos, the picture of GPS screen was out of focus.

So I'm sending the tracklog showing our aproach.

Portuguese

Relato da Caçada da Confluência 19ºS 48ºW – Página confluencias

Estávamos passando o Natal em Uberlândia – MG e não podíamos perder a chance de caçar pelo menos uma confluência na região.

Eu e meu irmão Fernando saímos no dia 26 de dezembro, por volta de 8:30, em busca da confluência 19ºS 48ºW. Seguimos pela Rodovia BR 452, rumo à cidade mineira de Araxá, por uns 30 Km, até que o GPS começou a indicar que deveríamos virar à esquerda. Entramos então em uma estrada de terra que nos levou até a sede de uma fazenda, que estava fechada. A estrada acabava ali e a confluência estava a aproximadamente 5 km em linha reta. Deixamos um bilhete no carro e resolvemos seguir pelo pasto da fazenda, um pouco receosos pela presença do gado, que parecia nos observar o tempo todo. Andamos por uns 2 ou 3 km até que avistamos uma parte do lago da usina hidrelétrica de Miranda, localizada no Rio Araguari. Aí pudemos constatar a presença de uma outra estrada de terra que chegava quase na margem da represa, poderíamos ter chegado de carro até esse ponto, mas tudo bem, afinal fazemos ou não parte de um grupo de caminhadas???

Naquele ponto ficamos em dúvida sobre a direção certa, pois o GPS apontava para o meio da represa, não sabíamos em qual margem chegaríamos mais perto da confluência. Optamos pelo lado direito e fizemos a escolha certa. Desse ponto em diante seguimos sempre pela margem da represa, onde existem algumas chácaras e tivemos que parar algumas vezes para conversar com os proprietários.

Passamos por alguns sustos nesse trecho, primeiro tivemos que passar por uma concentração de vacas, que não ficaram muito satisfeitas com nossa presença, quase tivemos que entrar na água, mas conseguimos espantá-las. Em outra chácara chamamos e não havia ninguém, só vimos vários pés de manga carregados justamente no ponto onde nós teríamos que passar. Seguimos animadamente nessa direção quando nos deparamos com um cachorro enorme nos observando. Foi só um grande susto, graças a Deus ele não fez nada além de nos olhar feio. Pegamos algumas mangas e seguimos adiante. Logo adiante nos deparamos com outra coisa interessante: várias pegadas de felino na beira da água, provavelmente uma onça, olhamos em volta e seguimos em frente.

Tivemos que dar algumas voltas para acompanhar as margens da represa, mas finalmente, depois de pouco mais de 6 km de caminhada, chegamos a 52 metros da confluência, o ponto mais próximo que conseguimos, já que a mesma caiu justamente dentro da água. Naquele ponto paramos, tiramos as fotos, fizemos um lanche e admiramos a paisagem.

A volta foi bem tranqüila, sem sustos, comendo goiabas e mangas, caminhamos tranqüilamente, tivemos tempo de nos refrescar na água da represa e finalmente voltar até o carro, onde chegamos por volta de 15:30. Como a fazenda continuava vazia, pegamos o carro e voltamos para Uberlândia, felizes com mais essa conquista.

O último capítulo da caçada aconteceu quando revelei as fotos e constatei que nenhuma foto do GPS ficou boa!!! Fiquei arrasada, mas espero que o tracklog, o relato e as demais fotos sejam suficientes para comprovar essa visita.


 All pictures
#1: North
#2: East
#3: South
#4: West
#5: Confluence 50m behind me, inside lake.
#6: Treeklog plotted over sattelite image.
ALL: All pictures on one page (broadband access recommended)
  Notes
In a dammed up part of the Rio Araguari ou das Velhas, about 120 m from shore.