W
NW
N
N
NE
W
the Degree Confluence Project
E
SW
S
S
SE
E

Brazil : Mato Grosso

131.2 km (81.5 miles) ESE of Pôrto dos Meinacos, Mato Grosso, Brazil
Approx. altitude: 399 m (1309 ft)
([?] maps: Google MapQuest Multimap world confnav)
Antipode: 13°N 128°E

Click on any of the images for the full-sized picture.

#2: View to East #3: View to South #4: View to West #5: General view of confluence area #6: The GPS at the CP

  { Main | Search | Countries | Information | Member Page | Random }

  13°S 52°W  

#1: View to North

(visited by Eduardo Hanazaki and Setsuko Hanazaki)

English

27-May-2006 -- Bela manhã de sábado, 27 de maio de 2006. Resolvemos ir procurar a confluência 13S-52W, a 300km de casa, em Campinápolis, MT.
Saímos para a rodovia BR 158, em direção a Ribeirão Cascalheira. Pelo mapa do Google, parecia um local relativamente fácil. A foto do satélite mostrava uma mata fechada mas como a foto não é tão recente, resolvemos arriscar.
Almoçamos em Água Boa e seguimos viagem. Após rodar 290km, saímos da BR 158, rodamos mais 10km por uma estradinha de areia e por volta das 15h, chegamos a 700m do ponto. O gps apontava para uma mata fechada. Achamos uma trilha que saía da estradinha e seguimos o rastro de um trator para dentro da mata. Depois de 200m a trilha acabava numa clareira. Dali, era mata fechada para todos os lados. Resolvemos seguir a pé. Cadê o repelente? Esquecemos em casa!!!
Enfrentamos a mata fechada, belíssima, com muita variedade de árvores, arbustos, cipós, algumas árvores e galhos secos caídos, buracos de tatu, alguns montículos de cupins e sinais de extração de madeira nobre. Lembrei-me de cenas do filme "Predator", com monstros invisíveis. O que poderia aparecer de mais perigoso seriam cobras e onças cuja tendência é fugir da gente.
Chegamos ao local sem muita dificuldade porque o terreno é plano. Fotografamos e voltamos à caminhonete. Se não tivéssemos o cuidado de marcar o ponto por onde entramos na mata, seria difícil sair. Lá dentro é tudo muito parecido e o único ponto de referência era a luz do sol que passava por entre as árvores. Quando chegamos de volta ao carro, o Eduardo estava com os braços cheios de pintinhas pretas. Eram milhares de carrapatinhos, quase invisíveis.
Derrubamos alguns e resolvemos ir até a cidade de Ribeirão Cascalheira, a 20km dalí, para comprar álcool e inseticida para matar os carrapatos. Ainda na estradinha de areia, sobre uma ponte de madeira, um trator puxando uma pipa, obstruía a passagem porque estava enchendo a pipa com água. Tivemos que esperar. O córrego tinha águas límpidas e fizemos uma operação cata-carrapato derrubando centenas deles dentro do córrego. Meia hora depois, chegamos à cidade e depois de passar no supermercado para comprar álcool e inseticida, paramos na beira da estrada.
Borrifamos inseticida dentro da caminhonete, nas roupas e em algumas partes do corpo onde tinha muito carrapato. Chegamos em casa às 23h30 e continuamos a catar os carrapatinhos do corpo. Ficamos com o corpo marcado pelas picadas que coçam pra caramba. Mas vai passar. E vamos atrás de outras confluências.

English

27-May-2006 -- On the nice morning of May 27 we decided to go for this confluence at 300 kms from home at Campinapolis.
We left on highway BR158 in direction to Riberao Cascalheira. Our maps made it seem relatively easy, the satellite image showed close vegetation but since the image was not recent we decided to take the chance.
We had lunch at Agua Boa and continued our trip. After 290 kms we left BR158, drove for 10 more kilometers on a dirt road and by 15h00 we where at 700 meters of the confluence. We were moving towards a dense vegetation where we found the tracks of a tractor which we followed until 200m. At this point we started to walk … and saw that we had forgotten the insect repellent at home.
We crossed an area with beautiful vegetation and got to our destination with some easy since it was flat terrain. We made the photos and returned to our vehicle. Had we not marked our points of access into the vegetation it would have been difficult to get back; inside it everything looks the same. By the time we made it to the car, Eduardo was full of small black spots, they where cayenne ticks (Amblyomma cajennense).
We took some of them out of his arms and went to the city for alcohol or insecticide to kill them all. On the way there we where blocked by a tractor with a water tank, we used the stream of water coming out of it to get rid of many of the ticks.
Half and hour later we had our insecticide which we used in the vehicle, our clothes and parts of our body. We where back home at 23h30, still removing ticks. We are ready for future visits.


 All pictures
#1: View to North
#2: View to East
#3: View to South
#4: View to West
#5: General view of confluence area
#6: The GPS at the CP
ALL: All pictures on one page (broadband access recommended)