W
NW
N
N
NE
W
the Degree Confluence Project
E
SW
S
S
SE
E

Brazil : Bahia

1.8 km (1.1 miles) W of Lagoa Grande, Bahia, Brazil
Approx. altitude: 39 m (127 ft)
([?] maps: Google MapQuest Multimap world confnav)
Antipode: 18°N 140°E

Accuracy: 10 m (32 ft)
Click on any of the images for the full-sized picture.

#2: GPS #3: View to north, taken outside the wood, 125 m from CP #4: Vista para leste, tirado fora da mata, a 125 m da confluencia. View to east. #5: View to south #6: View to west #7: Local da confluencia. CP view #8: Porteira trancada. Gate closed with padlock. #9: Fim da trilha a 125 m. End of trail at 125 m from CP #10: Mata densa, dificil de caminhar. Hard walk to CP through the dense bush.

  { Main | Search | Countries | Information | Member Page | Random }

  18°S 40°W (visit #2)  

#1: General view of CP area, from 900 m, north

(visited by Eduardo Hanazaki and Setsuko Hanazaki)

English

30-Oct-2007 -- Após a viagem de uma semana que fizemos pelo vale do Jequitinhonha, conhecendo uma das regiões mais pobres do estado, mas também cheias de belezas naturais ainda desconhecidas fora da região, e um pouco do cotidiano doído de seu povo, dirigimos para o sul da Bahia com intenção de conhecer Porto Seguro e arredores, uma das regiões mais turísticas do estado. Na viagem pela rodovia BR418 que liga Minas Gerais ao sul da Bahia, visitamos a confluência 18S-40W, próxima a esta rodovia, já no estado da Bahia.

Às 14h30, trafegando pela rodovia BR418, na altura do meridiano 40 W, estávamos 11 km ao norte da confluência. Saímos do asfalto e entramos por uma estrada, por entre plantações de eucaliptos, que rumava em direção à confluência. Depois de algumas voltas por entre os talhões de eucalipto, num raio de 2 km ao redor da confluência, chegamos diante de uma porteira trancada a cadeado. Pelo relato dos visitantes anteriores, tínhamos a certeza que a confluência se encontrava nessa fazenda. Da porteira, avistava-se a sede. O Eduardo atravessou a cerca de arame farpado e, sob o sol quente, caminhou em direção à casa. Ao seu encontro, veio o Sr. Benedito, funcionário da fazenda Santa Rita, que após ouvir as explicações sobre o nosso objetivo, entregou-nos a chave para abrir o cadeado. Às 15h20, passamos pela porteira e, depois de atravessarmos vários pastos, passamos junto à fazenda vizinha onde algumas pessoas se ocupavam no plantio de mamoeiros. Saímos da Fazenda Santa Rita, por uma estrada que ia em direção ao Rio Mucuri, bem próximo. À esquerda, entramos por uma trilha mais estreita que passava entre a mata ciliar e um talhão de eucaliptos. Alguns metros adiante, paramos o jipe a 125 m do ponto.

Era 15h40. Pegamos o facão e entramos na mata. Foi necessário abrir uma picada, cortando alguns bambus, cipós, galhos e folhas de palmeira bacuri com espinhos que atrapalhavam o caminho em direção à confluência. Havia ciscos de folhas e pedaços de galhos secos numa altura de um metro, indicando que essa área esteve inundada pelas águas do rio. Levamos quase 40 minutos para vencer 125 m de mata. Registramos a nossa presença no local com a foto do GPS e saímos da mata para fotografar os pontos cardeais porque lá dentro, era tudo igual.

Passamos novamente pela casa da fazenda e, conversando com o Sr. Benedito, ele nos contou que a Fazenda Santa Rita pertence ao Sr. José Cláudio Soares mas a CP fica fora de sua propriedade.

Em nosso caminho para a cidade de Mucuri, demos carona para duas trabalhadoras de uma plantação de mamão que há três horas esperavam carona para retornar ao lar.

English

30-Oct-2007 -- After the trip of one week that we took to the Jequitinhonha valley, known as one of the poorest region of the state, however full of still unknown natural beauties, we drove to the south of the Bahia intending to know the touristy region of Porto Seguro. On the highway BR 418 that connects state of Minas Gerais to the south of Bahia, we visited the confluence 18S - 40W, next to this highway, now in the state of Bahia.

At 2:30 pm, travelling by highway BR 418, on the meridian 40 W, we were 11 km to the north of the confluence. We left the asphalt and entered on a road, through plantations of eucalyptus, toward CP. After several laps between plots of eucalyptus, we reached at 2 km to the confluence, in front a locked wooden gate. From the story of the previous visitors, we were sure that the confluence was located in that farm. From the gate, we could see the farm house. Eduardo crossed the barbed wire of the fence and, under the hot sun, walked in direction to the house. Mr. Benedito, employee of the Santa Rita farm, came toward him. After the explanations about our objective, he gave us the key to open the gate and kindly taught us the best way to get to CP.

At 3:20 pm, we entered to the farm. After crossing some pastures, we passed next to the neighboring farm where some people were working in a papaya plantation. We left the Santa Rita Farm, in direction to the Mucuri River ahead. To the left, we entered in a narrow track between the river and eucalyptus trees. Some meters ahead, we stopped the jeep at 125 m to CP. It was 3:40 pm. We caught a machete and entered the dense bush. It was necessary to open a path, cutting some bamboos, lianas, twigs and leaves of thorn palms that obstructed the way in direction to the confluence. There were dried leaves and pieces of twigs at one meter on the branches, indicating that the area was flooded by the river. After 40 minutes, we reached the CP. We registered our presence in the place with the photo of GPS and took the pictures of the cardinal points outside the forest because inside there, the view was the same in all directions. On our way to the city of Mucuri, two workers of the papaya plantation got a lift by hitchhiking in our car. They were about three hours waiting for a hitchhike to return to their home.


 All pictures
#1: General view of CP area, from 900 m, north
#2: GPS
#3: View to north, taken outside the wood, 125 m from CP
#4: Vista para leste, tirado fora da mata, a 125 m da confluencia. View to east.
#5: View to south
#6: View to west
#7: Local da confluencia. CP view
#8: Porteira trancada. Gate closed with padlock.
#9: Fim da trilha a 125 m. End of trail at 125 m from CP
#10: Mata densa, dificil de caminhar. Hard walk to CP through the dense bush.
ALL: All pictures on one page (broadband access recommended)